quinta-feira, 2 de abril de 2009

Fernando Alberto Ribeiro da Silva apresenta livro

"O ex-presidente da Assembleia Geral do Vitória, Fernando Alberto Ribeiro da Silva, apresentou esta quinta-feira o livro da sua autoria: A Regeneração do Vitória de Guimarães – Testemunho de Consciência"(...)O ex-presidente da Assembleia Geral do Vitória afirmou que, com este livro, pretende ajudar a esclarecer os sócios do clube."(...)
in "Guimarães Digital" ler notícia AQUI

Aconselho a ler a notícia e a ouvir na mesma página as declarações de Fernando Alberto, pareceu-me ouvir algumas verdades que vão doer a muita gente.

10 comentários:

Agostinho disse...

Há gente que não tem vergonha na cara. Este senhor não a tem, nem na cara, nem em lado algum.

Não é de agora... É um dos que é Vitoriano quando lhe convém. Agora até lhe convém. Aliás, até escreve um livro, para contar algumas verdades, tem o senhor o desplante de dizer, onde transmite um cego testemunho pessoal e imagine-se... Coloca o emblema do Rei na capa! Onde chega a falta de vergonha desta gente. Se não existiu autorização, aguardo por um processo a este senhor. Caso tenha existido, aguardo por uma explicação, para variar... convincente.

O senhor fala em baptismos democráticos mas esquece a realidade. Perdoa-se-lhe pela idade avançada...

O herói da revolução como lhe chama este senhor, não fugiu da terra coisa nenhuma. O herói tem um tacho, que alguém lhe proporcionou em troca de algo, pago pelos Vimaranenses. O que é bem diferente... A justiça foi feita. Não existam dúvidas...

O senhor será sempre um dos grandes responsáveis pela descida do Vitória ao abismo. Por mais que escreva, por mais que se esconda atrás de fantasmas, esse "mérito" ninguém lho tira.

O senhor diz e muito bem, a culpa foi (e é) dos sócios do Vitória. Concordo em absoluto.

Pantic disse...

Os lucros do livro se existirem serão entregues a uma instituição que até poderá ser o Vitória. Na entrevista o autor do livro refere isso mesmo.

Agostinho disse...

Não vamos deturpar as palavras do senhor.
O que o senhor refere é que, “…entregará as sobras”, se existirem, a uma instituição, que até pode ser o próprio Vitória”. Genial.
Ou seja, depois de ele efectuar o balanço sobre o que necessita para a sua medicação diária, talvez, repito o talvez, existam algumas “sobras” que talvez, repito o talvez, entregue ao Vitória. Isto diz tudo sobre quem é este senhor.

Se eu, em nome próprio ou colectivo, apresentar um projecto ao Vitória, com o fim único de o engrandecer, não tenho autorização para utilizar o símbolo do Clube (e não estamos a falar em potenciais sobras que possivelmente serão entregues ao Vitória). Segundo os seus responsáveis, apenas produtos, eventos ou serviços prestados pelo próprio Clube podem ostentar o Símbolo do Rei. Posto isto, existem duas hipóteses, ou o senhor utilizou o símbolo do Clube sem autorização e por isso terá obrigatoriamente de bater com as costas num qualquer tribunal ou o senhor foi estupidamente autorizado pela Direcção do Clube para o utilizar.

A breve prazo irei questionar o senhor presidente do Vitória sobre este facto. Poderá estar aberto um precedente grave. Se eu amanhã quiser escrever um livro, contando a minha visão cega sobre a incompetência de Emílio Macedo e seus pares, o senhor Presidente, terá, no caso de o ter feito desta vez, de autorizar que o mesmo possua o emblema do Vitória na capa. E assim sucessivamente… Infelizmente, a bandalheira habitual no nosso Vitória.

O senhor julga-se dono da verdade. Diz ele, que a verdadeira história está no livrinho dele… Esquece-se porém que a história não se conta com base em ódios pessoais. Para a história não ficam amizades ou subserviências… Para a história ficam factos e números. E esses… São conhecidos de todos os Vitorianos… Pelo menos daqueles que não tem memória curta.

shiver disse...

e quê, com comentários desse tamanho deves querer fazer 1 livro também. vai trabalhar

Pantic disse...

A História nunca foi um facto concreto mas sim a versão contada por alguém...
Quanto "as sobras" pelo que me apercebi, é o que sobrar depois de pagar a impressão do livro. Não podemos deturpar as palavras do senhor.

Agostinho disse...

Se a história nunca foi um facto concreto, ninguém tem o direito de dizer que a sua é que é a verdadeira. No máximo, o senhor poderá dizer que é a sua visão (deturpada e senil) dos acontecimentos. No entanto convém que a História seja contada por gente qualificada, com capacidade de ouvir várias versões e com uma posição minimamente equidistante em relação aos factos em questão.

Cada um pode “aperceber-se” do que quiser. As palavras utilizadas pelo senhor, “sobras”, são propositadamente dúbias. Mas já agora, depois “de pagar a impressão do livro”, porquê? Porque motivo deve o senhor utilizar o emblema do Vitória para promover algo seu, arrecadando daí óbvios dividendos? E já agora porque não pagar a hipoteca da casa ou até o empréstimo do carro? E depois até, talvez, é bom que se frise o talvez, entregar os “restos” a uma associação que talvez, e deve novamente frisar-se o talvez, seja o Vitória?

Existe uma diferença muito grande entre viver para o Vitória e viver do Vitória. É bom que os Vitorianos de uma vez por todas consigam perceber esta diferença.

Anônimo disse...

Esse livro teoricamente escrito por esse sujeito é uma completa falta de vergonha.
Ele tem na testa um carimbo: Liga Vitalis !
Foi um dos coveiros.
Esse sujeito que durante uma duzia de anos andou arredio do clube e nem para receber o emblema dos 50 anos de socio apareceu vem agora dar liçoes de moral.
O batoteiro que repetiu varias vezes a votaçao do relatorio e contas a ver se era aprovado.
Realmente a idade atenua mas nao desculpa.

Agostinho disse...

Caro anónimo,

Nem foram esses os piores actos deste senhor…

É importante lembrar, que enquanto Governador Civil de Braga, negou obras de melhoramento ao Estádio do Vitória, por, no seu entender, já nesta altura o Vitória ter um estádio da dimensão que o Clube assim exigia…

É importante lembrar a quantidade infindável de cartas que o senhor escreveu, por, por exemplo, o Vitória não ter autorizado o Moreirense a utilizar o D.Afonso Henriques para uma recepção ao FC Porto… Pois no seu entender o município deve estar sempre acima do Vitória, escreveu na altura.

É importante lembrar que foi este senhor que no início de 2004 se gabava de ter despoletado a reflexão necessária para que se invertesse um ciclo tenebroso da história do Clube. Pois no seu entender o Vitória havia batido no fundo!

Dizia este senhor na altura…
“Demita-se Senhor Presidente.
É a única atitude que, em meu entender, deve tomar. A situação catastrófica a que o clube chegou assim o exige. O Vitória encontrará seguramente quem o dirija, respeite e reponha no futuro a grandeza da sua história passada.”

O resto é história… e nós não podemos esquecer. Nem uma palavra disse este Senhor na maior vergonha do Vitória nos últimos 50 anos.
Apenas não dá para rir… Porque é demasiado triste.

Pantic disse...

Realmente deve ser o único que ganha dinheiro com o Vitória. Se estás assim tão chateado não te esqueças de na próxima assembleia subir ao púlpito e dizer isso mesmo.Já agora quando quiseres falar da actualidade do Vitória e dada a tua excelente retórica o blogue está ao teu dispor.
Abraço

Pedro disse...

"Aconselho a ler a notícia e a ouvir na mesma página as declarações de Fernando Alberto, pareceu-me ouvir algumas verdades que vão doer a muita gente."

Dizia no final da notícia e foi logo comprovado com estes posts fantásticos do caro Agostinho, que faz do homem a pior espécie à face da Terra e o causador de todos os males no Vitória.

Serei com toda a certeza um dos compradores do livro, onde se ficarão a conhecer mais histórias do sr doutor que mesmo longe continua a deixar saudades em muita gente.

Triste sina a nossa.