quinta-feira, 13 de maio de 2010

Desabafo

Estreia hoje o novo filme de Ridley Scott, no qual Russel Crowe dá vida à personagem de Robin Hood. Não sou propriamente cinéfilo, mas falo disto porque se existe herói que nos fazia jeito nos dias que correm, essa personagem só poderia ser o Robin dos Bosques, o famoso cavaleiro que roubava aos ricos para dar aos pobres. E vem esta longa introdução a propósito do aumento generalizado dos impostos, divulgado hoje. Com tudo isto só me apetece dizer «Volta Manuela estás perdoada!». E não é que Sócrates finalmente arranjou um parceiro líder da oposição à sua medida?! Realmente são mesmo feitos um para o outro. Quando um ainda há 15 dias atrás, na apresentação do PEC, disse que não iria aumentar os impostos, o outro na sua campanha para a liderança do seu partido sempre defendeu que nunca iria alinhar com o Governo no aumento dos impostos. Como qualquer bom político português, rapidamente mudam de opinião. Mas o que eu gostei mais em Passos Coelho foi o pedido de desculpa ao portugueses. Muito bom, este vai chegar a primeiro ministro rapidamente. Como muita gente tem dito por aí, esta jogatana dos dois partidos responsáveis pelo estado do país (após o 25 de Abril o poder é dividido pelos dois), é uma acção do mais baixo nível possível e um atentado à inteligência dos portugueses. A escolha desta semana com certeza não é inocente. Por entre a festa do benfica e a visita do Papa, os portugueses certamente que só mais tarde irão dar a devida atenção a este assunto. Até porque ouvir falar que o país está em crise e temos que apertar o cinto já nós estamos habituados.

Agora dou razão e percebo as palavras de Alberto João Jardim quando, na campanha para a eleição do líder do PSD, disse que uma das razões para não apoiar Passos Coelho é o facto de ele ser facilmente manipulável pelo governo e ser uma espécie de Sócrates II...

Um comentário:

Anônimo disse...

faço minhas as tuas palavras!!

Stéphanie