domingo, 7 de novembro de 2010

Escrevedeira-das-neves (Plectrophenax nivalis)

"Tá bem assim?"

Escrevedeira-das-neves
(na Póvoa de Varzim)

Dado o estatuto raro desta ave em Portugal, aqui ficam duas fotografias da espécie. É oriunda das regiões árcticas, passando o Inverno na Europa Central. É extraordinário como um ser deste tamanho faz viagens tão longas e ainda consegue ser muito afável com as pessoas, permitindo aproximações de poucos metros.

*Fotos Voz do Berço

10 comentários:

Anônimo disse...

Finalmente uma ave que me vai dar oportunidade de relatar um espectáculo fabuloso que presenciei no dia 16 do mês de Outubro passado.
Por volta do meio dia a minha atenção foi despertada por um "piiiuuu" estridente e bem audível. Levantada a cabeça vislumbrei, por entre a ramagem de uma latada, três aves escuras tendo a maior em cada asa um círculo esbranquiçado. Nas outras duas, muito mais pequenas, talvez filhotes, não notei quaisquer sinais. Voavam, planando em círculos e afastando-se em direcção a norte, ouvindo-se de vez em quando o tal "piiiuuu", até que, depois de muitas voltas deixou de ouvir-se o pio, desaparecendo primeiro as aves mais pequenas e finalmente a maior.
Este espectáculo fascinante que durou bastantes minutos foi presenciado numa zona entre S. Torcato e Gonça.
Pelas características da maior e pelo que me foi dado ver no site Aves de Portugal deviam tratar-se de Águias Reais mas que não são usuais na nossa região. Seriam ?
Já agora aproveito para dizer também, que no verão do ano passado, no mesmo local vi uma ave que me pareceu ser uma cegonha.
Cumprimentos e que venham mais aves

disse...

Caro Anónimo,

quanto às águias, o mais provável é que fossem águias de asa redonda, espécie frequente em Guimarães, como por exemplo na Costa ou nos campos de Creixomil. Acredito que tenha sido um grande momento :)

Relativamente à cegonha, a confirmar-se, seria uma boa observação para o concelho. A zona que referiu (São Torcato e Gonça) é uma das melhores de Guimarães para observar aves.

Neste momento, se vir uma ave de grande porte, provavelmente será uma garça-real. Parece que estamos a ser "invadidos" pela espécie, que chega a Portugal em grandes números para passar o Inverno.

Esperamos que continue a partilhar as suas observações.

Cumps

Paulo César disse...

A curiosidade leva-me a comentar: são vocês que tiram as fotos dos pássaros/aves ?

Entrando se me permitem um pouco na conversa, não percebo muito de aves nem sei distinguir, mas pratico BTT frequentemente e felizmente ainda se vêem muitas aves por esses montes e campos fora, no concelho e outros concelhos limitrofes, Póvoa de Lanhoso, Vieira do Minho por exemplo.
Penso que milhafres se vêem muitos, já avistei bandos de corvos também.

Já melros acho que se vêem menos. Estou errado ?

disse...

Caro Paulo César,
sim, somos nós que tiramos as fotografias.

Certamente que enquanto pratica BTT deverá observar várias espécies, dado que conseguirá aceder a habitats ricos em avifauna, de difícil acesso à "pessoa comum".

No que diz respeito às aves que referiu, acredito que o milhafre seja de facto a águia de asa redonda e o corvo seja na verdade a gralha-preta, dado que as espécies que referiu são raras na região do Minho e assemelham-se muito às que nomeei, que ocorrem de forma frequente por estes lados.

Quanto ao melro, nos locais onde se estabelece, penso que continua a ser muito abundante.

Esperamos que continue a partilhar as suas observações.
Cumprimentos

Pantic disse...

Caro Paulo, é mais normal ver melros junto as povoações do que isolados no "meio do monte". Essa zona que você fala, onde os 3 concelhos da Póvoa, Fafe e Guimarães se tocam, são óptimos locais para BTT e para observar aves. Por exemplo, Luílhas, Rossas e Aboim são locais encantadores e perdidos no tempo. Costumamos ir muito a essa zona, é uma zona linda e tão perto da nossa cidade.

Paulo César disse...

Como disse, o meu conhecimento é reduzido, é natural que em vez de corvos sejam gralhas-pretas e em vez de milhafres sejam águias de asa redonda.
De facto o BTT é uma prática desportiva que permite contacto com a natureza e avistamento de animais e até plantas que de outra forma é muito difícil. Nunca reparei muito na passarada, mas fiquei curioso e com certeza terei mais atenção.
Quanto aos melros, sempre vivi em zona rural, com ramadas, etc. e sei que é o habitat natural deles, quantos e quantos foram apanhados para manter em gaiolas, mas como disse tenho visto menos melros... talvez seja ideia errada não sei.

Também não tenho visto bicos-de-lacre...

Obrigado pelas respostas !

disse...

O nosso conhecimento também não é vasto caro Paulo César. Mas a experiência vai-se obtendo aos poucos, à medida que vamos descobrindo as características das espécies e os locais que costumam frequentar.

Relativamente aos melros, a sua captura pode ter tido impacto nos números que ocorriam na região onde o César vive e daí actualmente ser menos frequente.

De forma similar, os bicos-de-lacre parecem ser também bastante "atractivos" ao homem, pelas suas cores exóticas.

E a captura destas espécies é ilegal claro está...

Pantic disse...

Até sabes umas coisas, nem toda a gente sabe o que é um bico de lacre :). Em Guimarães temos registos dessa espécie no Parque da Cidade e na Cidade Desportiva. Quando passares por lá fica atento. Já agora fica aí a ficha com o nome de algumas aves que encontram pelo concelho. Esta ficha está em actualização, já temos registos de mais espécies para colocar lá.
Já agora, obrigado aos dois pelos comentários. Dá-nos imensa satisfação ver que alguém olha com atenção para as inúmeras fotos de aves que vamos colocando por aqui.

http://www.avesdeportugal.info/sitguimaraes.html

Paulo César disse...

Nascido e criado no campo andei muito aos ninhos e aos pardelhos com uma fisga, alguma coisa conheço.
Lembro-me que os bico-de-lacre apareceram aqui há uns 20 anos atrás do nada, e foram de imediato um dos alvos dos coleccionadores de pássaros, pessoal com autênticos viveiros em casa, onde haviam canários, melros, bicos-de-lacre, gaios, pêgas, rouxinois...
O meu Pai chegou a fazer criação de periquitos, procriavam muito.
Havia muita gente com pássaros em casa e até um certo negócio em volta disso, agora acho que se perdeu esse hábito.
Estive a ver esse link e teriam sido mesmo águias de asa redonda e gralhas-pretas que vi. Reconheço também os piscos, carriças, verdilhão, e claro, as poupas.

disse...

Infelizmente ainda há muita gente que mantém espécies em casa de forma ilegal...