segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Exposição Era uma vez



É mesmo possível construir uma casa de palha que resista ao sopro do lobo?
Como funcionava o espelho mágico da Bruxa Má?
Porque tinha, afinal, o lobo uma boca tão grande?
A Branca de Neve teria um problema sério de despigmentação?

O visitante da exposição "Era uma vez" terá a oportunidade de descobrir a resposta a estas e muitas outras questões.
 
O Instituto de Design de Guimarães, com o apoio da Câmara Municipal de Guimarães e da Universidade do Minho, vai receber a exposição da Ciência Viva “Era uma vez... Ciência para quem gosta de histórias”, cuja mostra abre ao público no dia de hoje. A mostra centra-se em dez histórias que são verdadeiros clássicos: Os Três Porquinhos, Alice no País das Maravilhas, O Capuchinho Vermelho, Branca de Neve e os Sete Anões, As Aventuras de Pinóquio, A Gata Borralheira, João e o Pé de Feijão, Hansel e Gretel, Ali Babá e os 40 Ladrões e A Princesa e a Ervilha. Esta é uma exposição interativa de ciência e tecnologia que parte do imaginário mágico dos contos tradicionais para explorar fenómenos e conceitos das ciências naturais, como a Física, a Química, a Matemática, a Geologia e a Biologia, relacionando-os com o mundo real.
 “Era uma vez... Ciência para quem gosta de histórias” foi inteiramente produzida pelo Pavilhão do Conhecimento-Ciência Viva, com a colaboração científica do Laboratório Nacional de Engenharia Civil, do Instituto de Telecomunicações (Instituto Superior Técnico), do Instituto de Sistemas e Robótica (IST), do Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos (Universidade do Porto), do Porto Interactive Center (UP) e do Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária.

Nenhum comentário: